CMDCA de Jundiaí apoia Campanha de estímulo à denúncia de exploração sexual às crianças e adolescentes

A distribuição de cartazes, folhetos e adesivos, divulgando o Disque 100 para as denúncias, está sendo feita em órgãos públicos, comércios, hotéis e terminais rodoviários da cidade. Personalidades públicas da cidade também estão aderindo à Campanha.

 

O Ministério do Turismo (MTur) inicia o ano da Copa do Mundo com a distribuição de 150 mil peças de material publicitário para a campanha “Proteja – não desvie o olhar”. O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente – CMDCA de Jundiaí – apoia a campanha da Secretaria de Direitos Humanos, que estimula a população a denunciar casos de exploração sexual de crianças e adolescentes pelo Disque 100. Personalidades públicas da cidade, entre elas o prefeito Pedro Bigardi e a secretária Marilena Negro, estão aderindo à campanha em uma campanha local promovida pelo CMDCA.

Cartazes, folhetos e adesivos serão distribuídos em bares, hotéis, Centros de Atendimento ao Turista, rodoviárias e aeroportos de todo o Brasil, não sendo diferente no município de Jundiaí, onde o CMDCA também promove a distribuição do material. No carnaval e durante os jogos da Copa do Mundo a campanha será reforçada.

“A prevenção da exploração sexual de crianças e adolescentes é um dos maiores e mais urgentes desafios a serem vencidos por nossa sociedade. Portanto, toda campanha que venha conscientizar a população sobre esse crime e incentivá-la à denúncia, é muito pertinente”, opina a presidente do CMDCA de Jundiaí, Claudia Tofoli Honório.

Outras informações e estatísticas

De acordo com a Rede Global de Proteção às Crianças, o crescimento do turismo pode levar a índices maiores de exploração sexual de crianças. Segundo a organização, 76% das crianças exploradas sexualmente são menores de 10 anos.

No Brasil, a exploração sexual de crianças e adolescentes acontecem principalmente nas regiões de praia e nas fronteiras estaduais e internacionais. O estado que apresenta o maior número de denúncias é o Rio de Janeiro (1.951), seguido da Bahia (1.942) e de São Paulo (1.826). Os dados são do Ministério da Justiça, de 2012, quando foram registradas 18,3 mil denúncias.

O programa Turismo Sustentável e Infância, do MTur, previne e enfrenta a exploração sexual de crianças e adolescentes em todos os níveis do turismo brasileiro. Além de seminários e campanhas publicitárias, o MTur realiza projetos de inclusão social para as vítimas da exploração sexual.

Uma parceria firmada entre o MTur e o Serviço Social da Indústria (SESI) já permite que jovens vítimas de exploração sexual sejam incluídos no Pronatec Copa Social, projeto que qualifica jovens em situação de vulnerabilidade. Jovens atendidos pelo projeto ViraVida, do SESI, e seus familiares podem fazer os 37 cursos oferecidos pelo Pronatec Copa Social, entre eles, garçom, barista e auxiliar de cozinha.

As cidades atendidas são Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Cabo de São Agostinho, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Foz do Iguaçu, Goiânia, João Pessoa, Maceió, Manaus, Natal, Parnaíba, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Luís, São Paulo, Vitória e Uruguaiana.

Uma das formas da população contribuir é por meio da denúncia dos crimes. O disque 100, serviço de telefonia do Governo Federal, é um canal de comunicação da sociedade civil com o poder público.

No ano passado, foi lançado o Manual do Multiplicador – Projeto de Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes no Turismo. A publicação orienta professores, gestores públicos, líderes comunitários, organizações não governamentais e envolvidos no setor de turismo em ações de combate à violência e à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Osvaldenir Stocker

Publicada em 14/02/2014


Secretaria Executiva dos Conselhos

R. Senador Fonseca, 605
Centro - Jundiaí
CEP: 13.201-017
Telefones: (11) 4497-0008 / 4522-0333
ramal 422


Prefeitura de Jundiaí
CMDCA | Desenvolvido por CIJUN